Credits Photo: http://www.flickr.com/photos/gas_station_sushi/

O verdadeiro queijo cheddar de origem inglesa

Os queijos são verdadeiras preciosidades que temos na gastronomia, sendo possível encontrar em cada canto do mundo uma variedade, com sabores próprios, únicos, e com fortes características por causa do “terroir” da região. O cheddar é um queijo bastante antigo e um dos mais famosos do mundo, mas quando falamos dele, estamos nos referindo ao cheddar britânico, ou aquela massa processada de cor laranja?

Ao contrário do que a maioria da pessoas acreditam, o cheddar não é nem de longe aquela massa laranja que acompanha os hambúrgueres nos Fast Food. Com o passar do tempo, foi criada uma cultura de chamar essa massa, de cheddar, sendo que ela se trata de diversos tipos de queijos processados, adicionados corante, emulsificantes, aromatizantes e etc. Por mais que esse popular cheddar agrade a muitos, é importante saber diferenciar.

O original cheddar é um queijo muito antigo, criado por volta do século XII pela necessidade de usar o leite excedente, e recebendo esse nome por originar-se da Vila Cheddar, em Somerset, na Inglaterra. Bastante amado pelos reis da época, Henry II declarou o cheddar o melhor queijo do país, adquirindo naquele momento uma quantidade exorbitante do mesmo.  Joseh Harding é o “pai do cheddar”, pois foi quem inventou técnicas modernas para a sua produção, permitindo que com o tempo o produto se torne mais barato e acessível.

Credits Photo: http://www.flickr.com/photos/dvzs/4147679592/sizes/z/

Credits Photo: http://www.flickr.com/photos/dvzs/

Classificado como queijo duro, o cheddar legitimo é feito com leite de vaca cru, possui uma textura ligeiramente quebradiça se jovem e bem curado, tem forma de tambor com 15 polegadas de diâmetro, e possui tendência de derreter com facilidade na boca. Sua casca é natural, e sua cor é geralmente amarelo-pálido, mas pode variar por causa do terroir, levando-se em conta a raça do animal, a região produtora, e o tempo de maturação.

O grande segredo do cheddar é o seu processo de produção, ao contrário de vários outros queijos que possuem o local de produção como grande trunfo. Qualquer um em qualquer lugar do mundo pode fazer queijo cheddar, desde que efetue corretamente o seu modo de fazer. Antigamente apenas a Inglaterra o produzia, mas hoje muito países do mundo também já o fazem.

Assim como vários outros queijos e ingredientes, a maturação é parte importante da produção. O queijo cheddar pode ficar entre 9 e 24 meses maturando, tendo em vista que quanto maior o tempo, mais concentrado será o seu sabor. Durante sua elaboração, o momento em que a coalhada é cortada, e várias vezes empilhadas para perder toda a sua umidade com o próprio peso, é parte fundamental que requer bastante atenção para um produto final de qualidade.

Credits Photo: http://www.flickr.com/photos/ttoes/

Credits Photo: http://www.flickr.com/photos/ttoes/

Estamos acostumados a ver rigorosas leis e regras de denominação de origem, fiscalizando a produção e a qualidade de queijos italianos, franceses, suíços, e etc., mas o nome “cheddar” não possui nenhuma proteção, permitindo ser feito em qualquer lugar, e inclusive existir variações como o cheddar alaranjado que todos consomem diariamente.

Como já dito, o cheddar original era feito com leite cru, até mesmo por não existir ainda o processo de pasteurização. Atualmente, a maioria esmagadora dos queijos são feitos com o leite pasteurizado por causa da alta demanda e a questão do custo. Os legítimos que ainda preservam o método original de produção, recebem o selo de “Farmhouse English Chesse”.

O cheddar é realmente um fantástico queijo, que difere totalmente do falso cheddar que existe aos montes por aí. Apesar de origem britânica, os Estados Unidos foram os responsáveis pela popularização do cheddar em todo o mundo, sendo que hoje possuem um produção bem relevante.

Se você ainda não provou um cheddar britânico, prove-o e conheça um universo diferente.

Bibliografia: Chesse.com / The Niblle Magazine 



Comments are closed.