A obesidade infantil avança com descaso de pais, escolas e governo

A obesidade infantil avança com descaso de pais, escolas e governo

Quando se diz que a alimentação é uma das principais ações não só do dia a dia como da nossa vida, deve-se levar em consideração. Alimentação está ligado ao bem-estar, a saúde e a qualidade de vida. A obesidade infantil não é apenas um problema mundial, é uma legítima e grave epidemia que já mata mais que a fome. Hoje no Brasil uma em cada três crianças entre 5 e 9 anos está acima do peso, e se as estimativas indicam o pais como o mais obeso do mundo dos próximos anos, isso se dá a má alimentação que não para de ganhar espaço no dia a dia das pessoas.

Antes de qualquer ação é preciso pararmos e observamos alguns dados sobre a obesidade infantil no Brasil. Não é sensacionalismo e muito menos tempestade em copo d’agua, é uma epidemia que precisa urgentemente ser combatida com efetividade. Estima-se que até 2005, 75 milhões de crianças no Brasil estejam em sobrepeso, e em pesquisa realizada pelo ministério da saúde foi constatado que 30% de menores de 2 anos tomam refrigerante e sucos industrializados, enquanto 60% comem biscoitos recheados e bolos prontos.

É inadmissível e inaceitável uma criança entre 8 e 12 anos de idade pesando entre 70kg e 90kg, mas infelizmente é algo que vem acontecendo com maior frequência. Quando é dito que a obesidade infantil é algo extremamente complexo, isso se dá pela enorme quantidade de culpados pela situação a que chegamos. Sim, o nível que o Brasil (e o mundo) atingiu em relação a obesidade das crianças é irresponsabilidade e negligência.

Crianças cada vez deixam de lado alimentos saudáveis em troca de doces.

Crianças cada vez deixam de lado alimentos saudáveis em troca de doces.

Estamos vivendo em um mundo onde FALTA comida de verdade, e esse é o principal motivo por tantas pessoas obesas. SOBRA açúcar, comidas gordurosas, produtos industrializados e refrigerantes. Produtos naturais e a famosa “comida caseira” são cada vez mais coadjuvantes na casa das pessoas, e o refrigerante antes considerado um presente para dividir com toda a família no final de semana, se transformou em conteúdo de mamadeiras das crianças.

As crianças de hoje em dia não são como as crianças de antigamente, principalmente aquelas que possuem problemas que sempre foram considerados “algo de adultos”, como hipertensão, problemas cardiovasculares, diabetes e etc. Todas essas doenças são relacionadas a obesidade, ou seja, a má alimentação. A obesidade precisa ser combatida e pode ter controle assim como qualquer outro problema. É fundamental evitar o excesso de peso, tendo em vista que perde-lo depois é bem mais difícil.

Para todo problema temos culpados e obviamente não se pode atribuir a criança o fato dela ser obesa, mas podemos atribuir essa culpa a todos que possuem a responsabilidade de educar essa criança. Falando de obesidade infantil, pais, escolas e o governo protagonizam juntos momentos de negligência, irresponsabilidade e falta de interesse em solucionar o problema.

obesidade infantil

Dentro de casa a comida caseira está em extinção, aquela mesmo regada de produtos frescos, verduras e legumes que tanto nos faz bem. Por outro lado, biscoitos, bolos, refrigerantes, comidas prontas (industrializadas) e idas ao fast food estão cada vez mais frequentes no dia a dia das famílias. As crianças são produtos do meio, e por isso hábitos de alimentação saudáveis devem começar desde cedo.

Na escola, que tem o importante papel de trabalhar junto com os pais na educação das crianças, matérias sobre alimentação são cada vez mais raras, aulas com exercícios físicos se limitam a um dia por semana, e na cantina sobram todo os tipos de salgados fritos, doces e refrigerantes.

No governo, ações conscientizadoras intensas e efetivas sobre a importância de uma boa alimentação e debates a respeito de maneiras de diminuir hoje a quantidade de crianças obesas no pais, quando acontecem não são efetivas assim como o desinteresse em aprimorar leis sobre a venda de produtos considerados um “veneno” para a saúde de todos.

comida saudável

Por tudo isso, esse é o nosso manifesto:

– Pela comida de verdade, pela comida caseira, pelos ingredientes que nos fazem bem como frutas, verduras e legumes, e pela volta do hábito de cozinhar em casa. Apesar de produtos prontos e industrializados serem mais baratos que frutas e legumes, possuem alta quantidade de açucares e gorduras.

– Pela redução do açúcar, que não é novidade para ninguém o quão mal o seu excesso faz, além de não trazer nenhum benefício. A cultura do refrigerante não pode sobrepor o importante espaço do suco natural na vida das crianças.

– Por uma escola tendo o papel de escola, ajudando na educação alimentar das crianças, influenciando a prática de exercícios físicos, e ensinando sobre ingredientes saudáveis e sua importância em nossas vidas.

– Por um governo comprometido com a causa, trabalhando fortemente no combate dessa epidemia, ajudando de fato a salvar vidas que são perdidas diariamente por essa doença.

– Pelas famílias, escolas, governo e sociedade trabalhando juntos e unidos com um único e importante objetivo: o controle da maior epidemia infantil de todo os tempos.

Sem dúvidas, você é o que você come.

cenouras

Referencias:

– Ministério da Saúde (Brasil)

Jamie’s Sugar Manifesto

– IBGE- Organização mundial da saúde

– BBC Brasil – Reportagem (Brasil pode se tornar o pais mais obeso do mundo em 15 anos)

– Portal da asúde (Excesso de peso e obesidade)

– Revista Época (“É cebola? Rabanete? Abacate?”)

– Documentário – Muito além do peso


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *