Café do jacu, um café brasileiro entre os melhores do mundo

Café do jacu, um café brasileiro entre os melhores do mundo

Dono de uma história muito rica e interessante, o café é uma das bebidas mais antigas do mundo, e para milhares de pessoas um companheiro indispensável durante o dia. O café é um produto muito rico em conteúdo e importância histórica, e o Brasil tem o orgulho de produzir um dos melhores e mais caros cafés existentes, o café do Jacu. A história e o meio de obtenção desse super premium café brasileiro é certamente única e causa surpresa e espanto.

Existem vários de tipos de café no mundo, alguns mais suaves, outros mais fortes, e uma série de variáveis que explicam o motivo pelo qual o café é um produto tão especial. É importante ressaltar que o Brasil produz um terço do café mundial, sendo o maior produtor e o maior exportador com ampla vantagem. E é do Espirito Santo que vem o café do Jacu, considerado um dos melhores do mundo, exótico, e obtido de uma maneira nada convencional.

O “Jacu” é um pássaro nativo da mata atlântica, e possivelmente ficou difícil entender a relação de um pássaro com a produção desse café muito especial. Para produzi-lo não se retira os grãos da arvore, e sim do chão diretamente das fezes dos animais. O jacu é um pássaro que não apenas come grãos de café, mas seleciona os melhores, ou seja, os mais maduros e em seu melhor momento, um grande parceiro nessa seleção natural.

café do jacu

A história do café do jacu é interesse, uma vez que no passado o pássaro era uma grande ameaça para a produção. Como solução, o “Kopi Luwak”, o café mais caro do mundo que vem da indonésia, se transformou em fonte de inspiração, uma vez que é extraído das fezes de um animal que se assemelha a um gambá. A partir disso surgiu o café do jacu, muito valorizado e conceituado, além de ser um sucesso internacional.

Consumir um produto que provem das fezes de um animal é de se estranhar, mas o segredo e o diferencial do café do jacu estão nesse detalhe fora do comum. Ao ingerir o café, o organismo do jacu (que não possui estomago) processa rapidamente aproveitando apenas a polpa e a casca, expelindo o grão intacto. O segredo dessa mudança radical que transforma o sabor em algo diferente e único, é o processo dentro do intestino do animal.

A colheita do café do jacu é manual, e feita normalmente no pé das arvores. O café é raro justamente por ser um produto da natureza, que depende do pássaro para a obtenção. Assim que colhido, o café passa por um rigoroso processo de limpeza para retirar as bactérias, segue para um período de descanso, e finalmente será torrado e moído para consumo.

A produção limitada é destinada em sua maioria para o exterior, onde diversos restaurantes famosos da Europa já adotaram o mais premiado café brasileiro. O resultado desse produto oriundo das fezes de um pássaro da mata atlântica, são sabores únicos, complexos, uma acidez marcante, um sabor mais adocicado, e de certa forma difícil de identificar e explicar por um todo. Um simples xicara de café do jacu custa hoje no mercado entre R$ 15,00 e R$ 20,00 reais, e o preço de um quilo desses grãos tão especiais, cerca de R$ 600,00.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *