Chocolate: como ele é feito a partir do cacau

still life of cocoa

Muitos ingredientes pelo mundo possuem enorme tradição e relevância, mas certamente nenhum outro tem uma história tão rica e interessante como o chocolate. Produto do cacau, uma fruta celebrada em todo o mundo, o chocolate passa por diversos processos até chegar ao resultado final, e seu passado é bem antigo e cheios de curiosidades históricas. Mesmo que inicialmente rejeitado pelos Europeus, hoje está presente no dia a dia das pessoas, é produto de desejo e satisfação, além de ser protagonista de datas como a Páscoa.

Antes de falar de chocolate é preciso primeiro falar sobre o cacau, uma fruta proveniente da árvore Theobroma Cacau, e de origem na América Central, mais precisamente em florestas tropicais de Honduras, México e Venezuela. Muito antes dos Europeus conhecerem o chocolate, ele já era consumido pelos astecas em forma de bebida, chamada na época de “xocoatl”.  O valor do cacau era enorme para os povos astecas e maias, os primeiros a terem contato com o produto, e por isso teve total influência nas civilizações, sendo usado inclusive como moeda, mercadoria e objeto de guerra.

cacau

Cacau e seu interior com as sementes, matéria prima do chocolate. Credits photo: www.flickr.com/photos/nestle/

A chegada dos Europeus ao “novo mundo” através de Colombo e os conquistadores, mudou a história do chocolate apenas a longo prazo, pois o primeiro contato não foi positivo, tendo em vista que a fruta é amarga e pouco doce. Para os povos locais o cacau era um condimento, e no desenvolvimento da bebida foi adicionado especiarias e ervas. Depois de um longo tempo, os europeus finalmente deram o devido valor ao chocolate, e foi levado no século 16 para Europa pelos espanhóis através das rotas do descobrimento. Por um grande período a descoberta do chocolate se manteve em sigilo para o resto do mundo, já que a Espanha tinha o interesse em manter um monopólio sobre o cacau.

O chocolate consumido como bebida era completamente diferente do consumido hoje, e apenas nos anos de 1700, ao chegar na França e na Inglaterra, teve o açúcar incorporado a receita, e enfim feito de uma maneira próxima ao atual. O cacau como fruta “in natura” em nada tem a ver com o chocolate, e por isso ele passa literalmente por uma transformação, até se tornar de fato chocolate.

Como o cacau é transformado em chocolate

Do interior do cacau é extraído suas sementes, a matéria prima necessária para a produção. Essas sementes são assadas, fermentadas e moídas, em um processo que o controle de tempo e temperatura são fundamentais. O cacau é colhido assim que fica com cor entre o amarelo e o laranja, e em seguida são armazenados para amadurecer por alguns dias. Após isso o fruto é aberto, e é retirado o seu interior que possui cor branca e textura pastosa.

Os grãos (amêndoas) do chocolate assim que retirados, passam por um processo de fermentação com temperatura controlada por alguns dias, momento em que seus sabores e aromas se desenvolvem e potencializam. Após essa etapa, os grãos de cacau são levados ao sol para secar quase que por completo.

sementes de cacau

Sementes de cacau secando ao sol

A partir do grão seco e limpo, inicia-se a produção do chocolate com a torra, desenvolvendo mais uma vez sabores únicos. Na sequência, os grãos são processador até virar um licor de chocolate (matéria prima). Isso só ocorre porque a manteiga de cacau presente na composição derrete com o calor gerado no processo. Em seguida, o licor de chocolate que é composto de manteiga de cacau e cacau em pó tem essas substancias separadas através de um processo especifico, e a parte sólida é moída até virar um pó bem fino.

Com o pó de cacau e a manteiga de cacau em mãos é feito o chocolate, que tem ainda na receita base açúcar e leite. Para o chocolate amargo usa-se o pó de cacau, a manteiga e o açúcar, para o chocolate ao leite adiciona-se o leite, e para o chocolate branco usa-se como base a manteiga de cacau, e não o pó de cacau como nos outros chocolates.

Sementes de cacau

Sementes de cacau após a torra – Credits Photo: http://www.flickr.com/photos/nestle/

Temperagem do chocolate: o que é e porque fazer?

A temperagem do chocolate é um complexo e fundamental processo que irá permitir o chocolate liquido endurecer, ficar crocante e ter um bom brilho. Trata-se de uma alternância de temperaturas no chocolate liquido, com o objetivo de provocar uma correta formação dos cristais de manteiga, já que a gordura da manteiga de cacau é a responsável por tornar o chocolate sólido. Ao final, o resultado deve ter um chocolate brilhante e crocante, e principalmente que não derreta a temperatura ambiente.

Leia também: Por que chocolate branco não é chocolate?

Cozinhando com chocolate

Chocolate é uma emulsão, ou seja, a mistura de duas ou mais substancias que não se misturam, com a ajuda de um emulsificante, no caso a lecitina. Por ser justamente uma emulsão, o chocolate é algo bastante frágil, que é preciso cuidados ao usá-lo. Altas temperaturas e água são dois elementos que devem ser evitados ao trabalhar com chocolate. Derrete-lo em altas temperaturas pode queima-lo, ou mudar sua textura ideal.

Para derreter um chocolate existem duas maneiras: pelo micro-ondas, usando a potência máxima, derreta de 1 a 2 minutos interrompendo e mexendo o chocolate a cada 30 segundos. Uma outra opção é o banho maria, trata-se do cozimento de algo através do calor do vapor da água. Para isso é preciso adicionar água em uma panela, esperar ferver, e colocar um recipiente por cima sem encostar na água. Dessa maneira tudo que for cozido em banho maria jamais irá ferver ou passar da temperatura desejada.

chocolate

Escolhendo seu chocolate

O chocolate ao leite possui menor quantidade de cacau, entre (10% e 35%), ao contrário do chocolate amargo entre (30% e 80%), o que torna o chocolate ao leite mais suave e menos amargo. A porcentagem de cacau no chocolate é tão pequena, que mais parece um doce com aroma de chocolate, devido à alta concentração de açúcar. Quanto maior a porcentagem de cacau em um chocolate, menos açúcar ele terá na composição, mais amargo e complexo será o seu sabor. Se você deseja um intenso sabor de chocolate em sua sobremesa, use o chocolate meio amargo ou o amargo. Já o chocolate em pó, é feito a partir da prensa do chocolate amargo até extrair a sua gordura. Em seguida, a massa pura restante é moída e peneirada até resultar em um pó bem fino.

Leia também: Como fazer mousse de chocolate 

O chocolate não é só fantástico pelo seu sabor, mas também por toda a sua cultura que ganhou o mundo. A África possui um domínio da produção de cacau no mundo, com 75% do total, mas o Brasil vem junto entre os maiores produtores juntamente com Costa do Marfim, Gana e Indonésia. Hoje em dia é possível encontrar chocolates personalizados, com diversos sabores, em um cenário onde a criatividade não tem limites.

Bibliografia: Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Callebaut, The Nibble Magazine, Livro Sabores perigosos.


Observações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *